4º aniversário do UnderLX

4º aniversário do UnderLX - diz que é uma espécie de epílogo

O UnderLX assinala hoje o seu quarto aniversário, isto é, a passagem de quatro anos após a data que retroactivamente convencionámos como sendo a da criação do projeto. Conforme habitualmente relembramos nestas mensagens, essa data foi escolhida por corresponder ao primeiro post sobre o projeto no SkyscraperCity, naquela que foi a sua primeira apresentação pública. Poderíamos ter escolhido uma data anterior, por exemplo, a da primeira commit no código fonte do servidor, oito dias antes. Alternativamente, uma data algures em fevereiro de 2017, altura em que o código que fez parte dessa commit começou a ser escrito. Esses artefactos fazem parte de uma espécie de prólogo do projeto, cujo início depende apenas de quão lenientes ou pedantes quisermos ser na atribuição de uma causa-efeito. Afinal, podemos até afirmar que o prólogo começou no dia em que o fundador do projeto - eu, Gabriel “gbl08ma” Maia - comecei a acompanhar o fórum português do SkyscraperCity, ou até mesmo no dia em que viajei no Metro de Lisboa pela primeira vez: 29 de maio de 2014. Enfim: a data é arbitrária e é nela que fazemos estas análises do ano transato, que julgamos contribuirem para a transparência do projeto.

Há um ano, comentámos que vivíamos momentos atípicos e de incerteza. Infelizmente, o momento actual só parece menos atípico porque nos fomos habituando a um novo normal. A sociedade global trocou umas incertezas por outras, e a equipa do UnderLX fez o mesmo. Em 2020, perguntávamo-nos quanta oportunidade e motivação viria a existir para desenvolver o projeto no âmbito técnico e tecnológico, após um ano que por si já tinha sido esparso em novidades, ainda que não escasso (lembram-se dos tempos de espera na app, essa inovação tão 2019?). Hoje, já temos a certeza que o quarto ano foi esparso e escasso a este nível.

Os motivos para a quase-paragem do desenvolvimento técnico do projeto são, em larga parte, os mesmos que já tinham sido identificados nos dois anos anteriores: o projeto continuou a ser desenvolvido por uma só pessoa, eu próprio, que fui perdendo a motivação. Por um lado, cada vez uso menos o Metro (desde 2019 que não o faço, em grande parte porque concluí os meus estudos e já não moro em Lisboa). Por outro lado, as partes que julgava “interessantes” ou “desafiantes” do projeto entretanto ficaram feitas, e passaram a sobrar apenas as partes aborrecidas.

Entretanto, passaram a existir motivos novos para o meu desinteresse no projeto: desde o início de 2020 que tenho a sorte de estar empregado a tempo inteiro, a fazer coisas que geralmente gosto, mas que me deixam sem energia nem disponibilidade para fazer “mais do mesmo” nos tempos livres, seja isso programação ou sequer o acompanhamento de assuntos mais técnicos. Adicionalmente, o Android é uma plataforma para a qual desenvolver e manter uma app production-ready é exigente; as políticas sobre o que é permitido nas apps listadas no Google Play mudam frequentemente, as próprias APIs vão mudando de versão para versão, enfim, é necessário um acompanhamento constante - algo completamente em conflito com o que acabei de mencionar sobre ter pouca energia e disponibilidade para alocar a projetos pessoais. Devo ainda mencionar que o ecosistema Android caminha no sentido de restringir cada vez mais as liberdades de utilizadores e programadores em nome, alegadamente, da segurança e privacidade, ao ponto de alguns dos motivos pelos quais não temos uma app para iOS se começarem a aplicar também ao Android.

Assim, e tal como dissemos há um ano: não queremos iludir ninguém. Nada do que vamos dizer a seguir é novo, corresponde ao que tem sido o status quo nos últimos meses/último ano. De forma clara para todos:

  • O UnderLX continuará activo nas redes sociais e o nosso servidor de Discord continuará a ser moderado, conforme tem acontecido ao longo dos últimos anos.
  • Até indicação em contrário, nem a app UnderLX, nem o Perturbações.pt, nem o PosPlay verão novas funcionalidades.
    • Se essas funcionalidades surgirem, provavelmente não serão implementadas por mim.
  • Eu irei continuar a manter toda a parte técnica do projeto, para garantir a sua continuidade nos moldes actuais, enquanto as alterações e correções necessárias não exigirem demasiada disponibilidade minha.
  • A aplicação UnderLX não deverá ver novas actualizações do seu executável/APK; todas as alterações visíveis na aplicação serão feitas através de actualizações do mapa de rede, dentro do que é possibilitado por essa via.
    • No geral, o modelo de dados e business logic usado pelo UnderLX (tanto na app como no servidor) são insuficientes para modelar linhas circulares e/ou com troços partilhados entre várias linhas.
    • Não me foi possível preparar a aplicação para o suporte a linhas desse tipo até à data limite em que o Google Play permitiu a submissão de aplicações com target para a SDK 28; actualizar a app para ter suporte à SDK >=29 iria necessitar de demasiadas alterações para a disponibilidade que tenho.
    • Assim, iremos provavelmente continuar a acompanhar as alterações do mapa de rede até à eventual abertura da linha circular, altura em que o projeto será totalmente descontinuado.
  • O projeto continua a ser de código aberto, e caso surjam interessados em tomar a posição de líder técnico/technical lead para continuar o seu desenvolvimento, o lugar está à disposição.
    • Eu encontro-me disponível para continuar a hospedar e administrar os serviços online por tempo indefinido, mas caso surjam interessados, também estas responsabilidades podem ser transferidas de uma forma respeitadora das políticas de privacidade do projeto.
  • Os donativos, incluindo o Patreon, irão continuar a ajudar a pagar a infraestrutura online do UnderLX e a recompensar o nosso trabalho nas redes sociais. Aproveitamos para, mais uma vez, agradecer este apoio a todos os que doaram.

A situação a que chegámos já estava presente como uma possibilidade há um ano atrás, mas como havia sempre a hipótese de eu tornar a ter vontade para trabalhar afincadamente no UnderLX, tentámos evitar um discurso derrotista prematuro. A verdade é que ao longo do último ano foram efectivamente feitas algumas melhorias ao UnderLX - tanto à app como aos sites - pelo que se provou que existiu alguma vontade. Mas estas foram sempre mais à base da correção de bugs do que da introdução de funcionalidades, e não devem ter passado de um total de 30 horas, ao longo de um ano inteiro, com largos meses de intervalo entre intervenções. Este total é insignificante quando comparado com as centenas de horas passadas pelo meu colega na manutenção do mapa de rede/informações sobre estações, no acompanhamento de desenvolvimentos relacionados com o Metro, na publicação de conteúdos neste blog e redes sociais, no acompanhamento e moderação do nosso grupo no Discord, etc. Assim, julgámos melhor clarificar a situação: anunciar o fim do desenvolvimento, e reiterar a continuidade do UnderLX enquanto comunidade sobre o Metro de Lisboa.

Este não é o fim do projeto mas é, sem dúvida, o fim de um capítulo. Pela parte que me toca, é mesmo uma espécie de epílogo de um projeto do qual guardo muito boas recordações e com o qual aprendi muito, incluindo assuntos nada relacionados com engenharia. Por exemplo, ficarei eternamente grato a todos os que, de alguma maneira, nos ajudaram a chegar a muitos dos jornais online portugueses, naquele outono-inverno doido de 2017-18.

Todos os anos costumamos mencionar, e este ano não será exceção: o UnderLX foi muito mais bem sucedido e chegou muito mais longe do que esperávamos inicialmente. Ficou, claro, muita coisa por fazer. Mas eu quero poder avançar para outros projetos e actividades, sem por vezes sentir culpa, como se devesse mais do meu tempo ao UnderLX. Julgamos que este ponto final que colocamos no desenvolvimento técnico coincide bastante bem com a linha que separa as ideias praticáveis, úteis e realistas das ideias demasiado ambiciosas que ficam melhor no plano dos sonhos. Com outros meios, outras pessoas envolvidas e com outra capacidade de planeamento, talvez tivessem sido feitas mais coisas ou, pelo menos, outras coisas - pelo que aproveito para relembrar que o projeto está disponível sob licenças de software bastante permissivas 😉.

Tal como há um ano, continuamos a não ter dúvidas que, mais tarde ou mais cedo, a normalidade voltará, e o UnderLX também terá direito ao seu novo normal.

Muito obrigado por nos acompanharem neste quarto aniversário! 🍰

Sem ainda saber se a retrospectiva do quinto ano será feita por mim ou por um sucessor no cargo, despeço-me com um até breve,
- Gabriel Maia, fundador do UnderLX